A “nova” agência de investimentos estrangeiros de Trump: Nuclear Itching

Sobrinha de Donald Trump em livro, confidenciando fatos sobre o presidente: “Como minha família criou o homem mais perigoso do mundo.”

Victor GilinskyHenry Sokolski

17/07 de 2020

2 minutos

Em 2018, em um Congresso republicano com forte apoio democrata, os EUA criaram a International Development Finance Corporation, uma nova agência de investimentos estrangeiros (de Trump) com a finalidade de “fornecer ao mundo em desenvolvimento alternativas financeiramente sólidas para iniciativas dirigidas pelo Estado que fossem insustentáveis ​​e irresponsáveis”.

É o discurso do governo para competir com a iniciativa da China Belt Road (a nova Rota da Seda). Não demorou muito, no entanto, para a nova agência norte-americana se alinhar com uma iniciativa irresponsável dirigida pelo estado do esforço total de seu próprio governo Trump e incentivar as exportações nucleares.

Em Junho, a agência, cujas próprias regras proíbem o financiamento de exportações nucleares, propôs abrir a porta a esse financiamento, sem limitar seu escopo à sua missão de ajudar as economias dos países de baixa renda com projetos modestos e ambientalmente sensíveis.

Não há indícios de que tipo de condições se aplicaria ao financiamento de reatores nucleares. O país teria que ter um sistema de regulamentos e medidas de segurança? Teria que atender aos requisitos dos protocolos de segurança? Teria que permitir inspeção internacional?

Ainda não está claro se o apoio da agência seria limitado às exportações dos reatores dos EUA e, portanto, sujeito aos requisitos da Seção 123 da Lei de Energia Atômica, ou se eles também poderiam facilitar compras de equipamentos de outros fornecedores. Tais detalhes determinam se uma burocracia federal é forçada a agir com responsabilidade ou se é livre para atender aos caprichos da última Casa Branca.

Para justificar a ação proposta, a agência se baseia nos pontos de discussão rituais do governo – que as exportações nucleares “oferecerão uma alternativa ao financiamento de regimes autoritários, enquanto avançam as salvaguardas de não proliferação nuclear dos EUA e apoiam a competitividade dos EUA”. Essas pérolas são retiradas do relatório interinstitucional de abril de 2020 do governo “Restaurando a energia nuclear de vantagem competitiva da América“.

Levando as Américas para terrenos de insegurança.

O mesmo vale para as garantias da agência de que “reatores modulares pequenos” e “micro-reatores” avançados terão custos significativamente mais baixos do que as usinas nucleares existentes e “poderiam ajudar a fornecer uma fonte de energia com emissão zero, confiável e segura para os países em desenvolvimento, promovendo o crescimento econômico e acesso à energia acessível em comunidades carentes “.

Isso é tudo é muito esquisito. Nenhuma dessas usinas foi sequer construída e suas características e economia são especulativas.


Leia a íntegra em inglês : https://thebulletin.org/2020/07/trumps-new-foreign-investment-agency-itching-to-build-on-nuclear-quicksand/?utm_source=Newsletter&utm_medium=Email&utm_campaign=MondayNewsletter07202020&utm_content=NuclearRisk_ForeignInvestment_07172020

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado.