ABRATEC – a importância do investimento em ferrovia no Porto de Santos

Em painel do 32º Fórum Nacional INAE, associação trouxe as perspectivas para o crescimento do setor de contêineres no cenário pós-pandemia

Assessoria de Imprensa

2 Minutos

O Porto de Santos e suas ferrovias precisam estar preparados para o crescimento de 20% na exportação de granéis sólidos nos próximos 10 anos. Isso só acontecerá com a aplicação do Plano Mestre do Porto de Santos, que inclui o Plano de Zoneamento do local e a construção de uma pera ferroviária para agilizar o fluxo de mercadorias na carga e descarga de navios. Essa é a conclusão da ABRATEC – Associação Brasileira dos Terminais de Contêineres, que participou do 32º Fórum Nacional do Instituto Nacional de Altos Estudos – INAE.

O painel “Por mais transporte ferroviário para o Porto de Santos” foi transmitido online e integra um conjunto de eventos online sob o título “Como Voltar a crescer após a pandemia”. Mediado pelo economista Raul Velloso, o evento virtual também reuniu Fernando Paes, diretor-executivo da Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF) e Diogo Piloni, Secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários (SPNTA), do Ministério da Infraestrutura.  

Em sua participação, Caio Morel da ABRATEC trouxe um histórico sobre o segmento de terminais de contêineres, que desde 1997 contou com uma série de investimentos do setor privado. A explanação contou ainda com um panorama sobre os modais de acesso ao Porto de Santos: o aquaviário é considerado bom e conta com planos consistentes de melhorias que vão permitir a operação dos navios “new panamax” de 12.500 TEUs de capacidade, enquanto o acesso terrestre tem problemas que causam gargalos já conhecidos da região, com filas de caminhões nos picos de safra.

“O Porto de Santos ainda carece de pátios reguladores e a operação de descarga dos caminhões é morosa”, afirma ele. “O Plano Mestre pretende implementar uma remodelação nas vias ferroviárias com a instalação de uma pera ferroviária na margem direita, o que deve aumentar a participação do modal ferroviário no transporte de cargas para o porto, inclusive de contêineres, aliviando o fluxo rodoviário e sustentando o crescimento esperado”, disse Morel.  

Ferrovia para o porto de Santos

Durante a transmissão, Raul Velloso avaliou que é fundamental corrigir gargalos logísticos para garantir boas condições econômicas e de crescimento para o país. “Este é um segmento que seguramente deverá puxar a retomada, por sua condição especial de crescimento razoável como os números mostram”, afirmou.

Sobre a ABRATEC – A Associação Brasileira dos Terminais de Contêineres (ABRATEC) representa um dos segmentos responsáveis pelas maiores gerações de divisas no país nas últimas décadas e que terá atuação fundamental para a retomada econômica do país. Segmento é responsável por mais de R$ 15 bilhões de investimentos destinados à construção, modernização e ampliação dos terminais de contêineres brasileiros, além de gerar mais de 12 mil empregos diretos.

Constituída em 2002, a ABRATEC reúne 14 empresas associadas, com terminais nos estados do Pará, Pernambuco, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, especializadas na movimentação de contêineres, com operações que oferecem ao comércio exterior confiabilidade, eficiência e qualidade nos serviços prestados.

ABRATEC

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado.