Protestos ressurgem nas ruas do Chile e manifestações são esperadas para março

Fabián Andrés Cambero (Alpha Test Reuters)

1  MIN LEITURA

Santiago, Chile (Alpha Test Reuters) – Protestos sociais voltaram a tomar as ruas da capital chilena e outras cidades nos últimos dias, enquanto o governo busca alternativas para conter o descontentamento diante das expectativas de que as manifestações cresçam nas próximas semanas.

Desde sexta-feira, na emblemática Plaza Italia de Santiago, foram retomados os choques com a polícia. Ao mesmo tempo, cresce a incerteza sobre se o ambiente vai piorar em março, quando os chilenos retornam definitivamente de suas férias de verão.

“Recuperar a ordem pública, essa é a prioridade número um, porque a violência é um atentado contra a democracia, aos direitos humanos…Por isso, o que estamos buscando e o que o país precisa com urgência é de um grande acordo nacional contra a violência e em defesa da democracia”, disse nesta segunda-feira o presidente Sebastián Piñera em uma reunião oficial.

No balneário de Viña del Mar, a noroeste da capital, manifestantes queimaram no domingo automóveis particulares e apedrejaram um hotel na primeira parte de um popular festival musical da cidade, que sofreu ameaças de boicote.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.