Julian Assange: Audiência de Extradição em Londres

Colaborações de Londres, Paris e Sidney (Alpha Test Fusion)

3  MIN LEITURA

Londres, Inglaterra (Alpha Test Fusion)

11h45, horário de Londres: A audiência formal para determinar se Julian Assange será extraditado para os Estados Unidos para ser julgado por 17 acusações da Lei de Espionagem começou em Londres na segunda-feira de manhã. Os advogados de Assange chegaram ao Woolwich Crown Court com pilhas de evidências que serão apresentadas durante a primeira semana da audiência, que será retomada em Maio.

Jaquetas Amarelas, que viajaram de Paris para Londres para protestar do lado de fora do tribunal, entregam um colete a John Shipton para dar a seu filho Julian Assange.

12h08, horário de Londres: o pai de Julian Assange, John Shipton, falou com a imprensa do lado de fora do tribunal durante um intervalo e denunciou a alegação dos promotores de que Assange havia colocado em risco a vida dos informantes dos EUA:

“A parte essencial do argumento do caso dos promotores é que as publicações do WikiLeaks colocaram fontes em risco. Isto simplesmente não é verdade. O Pentágono admitiu, sob juramento, no julgamento de Chelsea Manning que ninguém havia sido ferido pelas informações divulgadas. Robert Gates, ex-secretário de defesa, em depoimento perante o Congresso disse que é embaraçoso, mas nenhum dano foi causado. Observarei que o promotor não deu nem um exemplo mínimo de dano. Ele apenas disse que as fontes estavam em perigo. Bem, isso simplesmente não é verdade. “

14:50, horário de Londres: Kristinn Hrafnsson, editor-chefe do WikiLeaks, deixou o tribunal e se dirigiu à mídia. Ele perguntou por que o tribunal estava discutindo o suposto dano causado pela liberação de informações sobre Afeganistão e no Iraque em 2010 e não os crimes de guerra que esses documentos revelaram. “É sobre isso que deveríamos estar falando em um tribunal neste país.”

O advogado de Assange diz que o processo judicial pouco se importa com a justiça e é politicamente motivado. Diz que a extradição deve ser barrada por razão dos “motivos políticos” das acusações.

14h55, horário de Londres: As centenas de pessoas que se manifestam do lado de fora de Woolwich Crown Court estão fazendo tanto barulho que dificulta a audição dentro da sala do tribunal. Até Assange comenta.

15:10, horário de Londres: o promotor dos EUA está tentando transformar a prática jornalística normal em crime, confundindo as tentativas de Assange de ajudar Chelsea Manning (que tinha autorização secreta e acesso legal aos documentos que ela vazou) a esconder sua identidade, fazendo login como administrador, não para ajudá-la a invadir o material, o que ela não precisava fazer. As duas acusações contra Assange deixam perfeitamente claro que foi isso que aconteceu e que Assange não estava envolvido em hackeamento.

18h45, horário de Londres: o WikiLeaks twittou que a defesa apresentará seu caso na terça-feira, em Woolwich Crown Court. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.