Netanyahu é indiciado por acusações de corrupção em Israel

Jeffrey Heller (Alpha Test Reuters)

2 MIN LEITURA

Jerusalém, Israel (Alpha Test Reuters) – O procurador-geral de Israel, Avichai Mandelblit, indiciou o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, nesta quinta-feira, devido a acusações de corrupção, aumentando as incertezas sobre quem vai liderar um país mergulhado em um caos político depois de duas eleições inconclusivas neste ano.

O procurador-geral anunciou a decisão, a primeira do tipo contra um premiê israelense no cargo, em uma declaração, e disse que as acusações incluem suborno, violação de confiança e fraude.

Netanyahu, que nega ter cometido irregularidades em três casos de corrupção, não é legalmente obrigado a renunciar depois de ser acusado. Ele deve fazer um pronunciamento ainda nesta quinta.

Em fevereiro, a polícia recomendou que Mandelblit apresentasse acusações criminais contra o líder de direita em decorrência de investigações duradouras apelidadas de casos 1000, 2000 e 4000.

Netanyahu é suspeito de ter recebido irregularmente o equivalente a 264 mil dólares em presentes de magnatas, o que procuradores disseram incluir charutos e champanhe, e de fazer favores em supostos acordos para obter mais cobertura do jornal israelense de maior circulação, o Yedioth Ahronoth, e do site Walla.

O premiê mais longevo de Israel pode passar 10 anos na prisão se for condenado por suborno e cumprir uma pena máxima de 3 anos por violação de confiança e fraude.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.