GV lança primeiro mestrado em criptomoedas

(Alpha Teste)  A Fundação Getulio Vargas (FGV), uma instituição de ensino superior sediada em São Paulo, lançou o que chama de primeiro mestrado em criptografia.

Ricardo Rochman, que é o coordenador do programa, disse que o programa nasceu de uma necessidade reconhecível de educação especializada em uma indústria com menos de dez anos de idade:

“É um mercado com uma profunda falta de pessoas com experiência. A criptofinança tem fundamentos econômicos e financeiros que valem a pena discutir, pesquisar e [ser] ensinado. ”

Hora de comprar o mergulho?

O programa fornecerá aos seus estudantes e ao mundo pesquisas sobre os mercados de criptomoedas e a indústria, a partir de uma perspectiva acadêmica mais objetiva. Até agora, a maioria das pesquisas e conhecimentos coletados em criptografia foi coletada de uma perspectiva especulativa.

“Há um ganho conceitual de conhecer as aplicações práticas da tecnologia e da criptomoedas como um investimento alternativo”, disse Michele Araujo, uma estudante de economia de 26 anos da FGV.